terça-feira, 30 de março de 2010

A MPS.BR é nossa!

Por Marcelino Silva

Trabalho realizado junto às empresas de TI&C da Baixada Santista (SP) resulta em melhoria de processos, valorização profissional e aumento da competitividade

“O petróleo é nosso”. Esta é uma das frases mais famosas da história. Ela serviu de slogan para defender as reservas do mineral no Brasil. Já para um grupo de empresários santistas, desenvolvedores de sistemas, a afirmação da vez fica por conta da aprovação na MPS.BR (Melhoria de Processos do Software Brasileiro). Depois de meses submetidas a uma série de consultorias, as empresas Metas Sistemas, AGE Technology e Triares obtiveram esta importante certificação. Coincidentemente, seus negócios estão na mesma cidade da Petrobras UN-BS (Unidade de Negócios da Bacia de Santos). O escritório da estatal brasileira é responsável por gerenciar umas das maiores bacias petrolífera do mundo.

Voltando a falar em Tecnologia da Informação (TI), a MPS.BR é baseada nas normas ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 15504. São modelos de processos focados nas pequenas e médias empresas fabricantes de software. A conquista do selo pelo grupo de Santos (SP) foi resultado da parceria com o Sebrae-SP. Há dois anos, ele vem realizando ações para impulsionar o setor local. Lançado em 2009, o Projeto de Fortalecimento do Setor de TI&C na Baixada Santista é um deles. No caso da MPS.BR, as três empresas certificadas receberam até 80% de subsídios financeiros durante a fase de consultorias especializadas. Em 2010, a meta da entidade é qualificar mais dez empresas do ramo de TI para obterem a certificação.

O diretor da AGE, Alexandre Ehrenberger, destaca a importância da certificação para que seu produto atenda aos clientes e forneça a qualidade exigida pelo mercado. “Ela garante organização e gestão profissional. É provável que nossos colaboradores mencionem suas experiências com a MPS.BR em seus históricos profissionais. As melhorias são votadas pelos próprios usuários, que priorizam suas necessidades. Do ponto de vista técnico e comercial, ela garante padrões internacionais de competência. Isto vale como avaliação positiva em caso de fornecimento ao setor público ou privado”.

No aspecto empresarial, Alexandre aponta os impactos da MPS.BR em seu negócio. “Crescemos em média 40% nos últimos três anos. Agora, estamos mais preparados para continuar crescendo e consolidar nossa metodologia scrum/agile com qualidade. Os processos estão fluindo, são controlados por indicadores e a empresa está maior que nossa capacidade individual. Este é um dos caminhos à profissionalização e valorização de clientes e colaboradores. Estamos muito orgulhosos”. A AGE Technology desenvolve softwares para gerenciamento ocupacional de vidas em empresas de segmentos distintos.


Equipe da AGE Technology emvolvida nos processos da MPS.BR

Para William Fernandes, analista de negócios da Meta, o ganho de produtividade, a qualidade de vida da equipe e a documentação dos processos foram os principais benefícios da MPS.BR. “O conhecimento estava na cabeça das pessoas. Agora, o fluxo está documentado, proporcionando mais planejamento nas tarefas e segurança aos clientes. Isso significa mais motivação pessoal, permitindo que as pessoas realizem outras atividades sem a dependência que existia antes. Além disso, conseguimos criar padrões usados em projetos simultâneos, diminuindo o tempo e os custos nas tarefas do dia-a-dia”.

Com relação ao futuro, ele relata que a empresa voltou melhor ao mercado depois da certificação. “Em três meses, conseguimos diminuir em 30% os custos com o tempo. Isso nos levar a crer numa lucratividade o mais breve possível. A MPS.BR foi um grande desafio, mas que valeu ainda mais depois que constatamos o orgulho e as mudanças em todos da empresa”, conclui. A Meta desenvolve sistemas ERPs e aplicativos web para comércio, educação, finanças, entre outros segmentos corporativos.


Equipe de suporte da Meta melhorou o fluxo dos processos depois da MPS.BR

Revista Brasil Comex - abril 2010 - www.brasilcomex.net.

Um comentário:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.